Com novo mangá de Shimabukuro, público relembra caso de 2002

Com novo mangá de Shimabukuro, público relembra caso de 2002

Recentemente Mitsutoshi Shimabukuro começou um novo mangá na Jump chamado de Build King. O capítulo 1 estreou e está no site da MangaPlus, ele é o mesmo autor do popular mangá Toriko.

E eis que tem pessoas irritadas por conta disso, isso porque Mitsutoshi Shimabukuro já foi condenado por crime sexual contra uma menor em 2002.

Em 2002 Mitsutoshi Shimabukuro foi preso por violar a lei de prostituição infantil, ele conheceu uma garota de 16 anos pela internet e pagou 80.000 ienes para fazer sexo com ela, ele foi preso e confessou ter pago ao menos 3 garotas em idade escolar para fazer o ato.

Na época ele publicava um mangá na Jump, que acabou cancelado. Ele foi condenado a 2 anos de prisão mas a sua sentença foi suspensa em favor de um período probatório, resumindo, ele não foi preso, mas foi supervisionado, se ele cometesse qualquer atividade criminosa durante o tempo em que estava sob supervisão, valeria a sentença original.

Daí em 2004, após o período ter passado, Mitsutoshi Shimabukuro voltou para a Jump, e em 2008 ele passou a publicar Toriko, que é o seu maior sucesso até então.

Agora em 2002, ele volta com um novo mangá, Build King, e tem uma parte do público irritado pela Jump permitir um homem condenado a publicar uma história na Jump, enquanto Act-Age foi cancelado.

Algumas pessoas estão cancelando ou querendo cancelar suas assinaturas do MangaPlus (que é o serviço de mangá online da Jump) por conta deste mangá. Vendo todo o caso, Jeff Ruberg fez o tweet acima, explicando como o MangaPlus funciona.

Basicamente, ao assinar a MangaPlus, sua grana vai apenas para os autores dos mangás que você lê, pois eles tem como saber quais mangás você acompanha pelo site.

ENFIM, comentem aí o que vocês acham.


Curta a gente no Face, siga no Insta e no Twitter!! Arigas!!

Viu erros? Quer mandar sugestão? mande um e-mail para [email protected]!

%d blogueiros gostam disto: