Curiosidades sobre Kimi no Na Wa

Post originalmente publicado no dia 27/07/2017 no nosso antigo site

Com o lançamento do DVD e Blu-ray de Kimi no na wa, fãs tiveram acesso ao livrinho que vem com várias curiosidades bacanas do desenvolvimento do filme, como conceitos iniciais, porém, alguns dias antes o diretor do filme postou no twitter alguns desses detalhes.

Em 15 de julho, Shinkai postou em sua conta no Twitter alguns rascunhos e conceitos de Taki e Mitsuha, que eram parte de seu projeto inicial enviado a produtora e distribuidora de filmes Toho, em 14 de julho de 2014

Tradução crua da ilustração: “Ao trocar de corpos em seus sonhos, os dois acabam descobrindo os segredos do outro.”

Ambos os personagens possuem traços faciais mais nítidos e de expressões sérias, com Mitsuha usando um blazer em vez do uniforme de verão que ela utiliza na versão final do filme. Taki aparece segurando algo que parece uma pistola, mas pode ser muito bem apenas um smartphone. Apesar do cometa e o lago (que são destacados em Kimi no na wa) estarem presentes, a arte nos dá a impressão de que, em certo ponto do desenvolvimento, Taki que moraria no campo e na zona rural enquanto Mitsuha moraria na cidade.

As ilustrações também representam o título original do filme: Yume to Shiriseba, ou simplesmente “Se eu soubesse que era um Sonho”, que se trata de um trecho de um poema de Ono Komachi (poeta do século IX) “Eu adormeci pensando em você e te vi em meus sonhos, e se eu soubesse que era um sonho, eu não teria acordado”.

Yume to Shiriseba também é um nome de um filme japonês de 1977, sugerindo mais uma vez que Shinkai seja um cinéfilo de carteirinha.

Shinkai também compartilhou outros documentos antigos, um que mostra como a “troca de corpos” sempre foi uma parte importante da história.

“Pensar algo como ‘eu gostaria de ser menino(a)’ em algum ponto durante a puberdade é quase que uma experiência universal, que quase todo mundo consegue se lembrar já ter desejado isso. Acredito que esse desejo de trocar de corpo com alguém não está limitado a uma questão de gênero, mas remete a algo mais profundo e maior. ‘Por que eu não sou outra pessoa?’, ‘Por que as pessoas desejam outras pessoas?’, ‘Por que as pessoas conseguem ter empatia por outras?’. Essas questões de identidade são fundamentais na nossa história recente e são assuntos no qual uma história sobre troca de corpos tem muito fundamento para abordar. Em uma história onde um homem e uma mulher trocam de corpos, apenas focando nas cenas sexuais, é uma técnica que não irá atingir bem essas marcas e objetivos.”

Como a maioria que assistiu Kimi no na wa, imagino que muitos gostam das piadas e situações que envolvem sexos opostos trocando de corpos. Mas desde o início, Shinkai quis evitar que esses elementos fossem o foco principal, ao contrário de muitos animes que utilizam essa temática como peça principal do enredo.

“Esse novo projeto de animação, ‘Se eu soubesse que era um Sonho’, será um novo estilo de história de troca de corpos. Apesar de utilizar oportunidades cômicas e excitantes nessa troca de corpos entre adolescentes, o objetivo não é demonstrar as diferenças entre os sexos. Como o personagem masculino e feminino trocarão de corpos em seus sonhos, os elementos de ter que agir como uma garota ou um garoto no dia a dia será mais simples e tranquilo, como um videogame ou realidade virtual.”

Em vez de risadas, o diretor estava em busca de coisas maiores, emoções mais poderosas.

“A câmera acompanha as ações da garota e do garoto, mostrando o desenvolvimento deles como pessoas. Mas ao mesmo tempo, também mostra os adultos ao redor deles, e todo o ambiente e história que eles criam. Esse filme é uma tentativa de manter o apelo simples de uma história que demonstra o desenvolvimento de “você e eu”, ao mesmo tempo em que conecta isso com uma história e mundo maiores.


Hoss

Hoss é o criador da Você Sabia Anime, formado em Design, está estudando japonês, talvez coreano, está treinando desenho em uma mesa e começou a fazer lives no Youtube

%d blogueiros gostam disto: