Politico que Defende Mangás e Animes é Eleito no Japão

Politico que Defende Mangás e Animes é Eleito no Japão

Político e atual líder do “Partido para Proteger a Liberdade de Expressão” Taro Yamada ganhou uma cadeira na Câmara dos Vereadores do Japão em uma vitória decisiva nas eleições, atraindo mais de 530.000 votos. Ele foi eleito como candidato de representação proporcional do atual Partido Liberal Democrático (LDP) do Japão.

Yamada é muito popular no Twitter, YouTube e Nico Nico Douga, onde publica conteúdo político relacionado a interesses “otaku”, como liberdade de expressão e privacidade na Internet. Em 2012, ele foi candidato ao ex-partido (um grupo discordante do LDP que se dissolveu em 2014) e foi eleito para a Câmara dos Conselheiros. Durante seu tempo, ele se opôs à aplicação de leis de pornografia infantil a animes e mangás.

Em sua campanha eleitoral, Yamada enfatizou sua oposição aos sites de pirataria e seu apoio à legalização de obras derivadas de fãs, como doujinshi e fanfiction. Além disso, Yamada fez campanha para melhorar as condições de trabalho na indústria de anime, os direitos das pessoas com deficiência e o direito dos japoneses de manterem seus sobrenomes originais após o casamento.

Após a vitória de Yamada, o nome dele foi um dos assuntos mais comentados no Twitter japonês. O artista do mangá Negima e UQ Holder! e ativista de liberdade de expressão Ken Akamatsu twittou seu apoio, dizendo: “Com isso, devemos ser capazes de manter as iniciativas do partido no poder para regular animes e mangás”. No entanto, ele alertou contra a complacência, acrescentando: “O que é assustador é pressão externa. Tópicos espinhosos como o uso justo certamente surgirão novamente, por isso precisamos nos envolver em debates [políticos]”.

Fonte: ITMedia


Gosta do Conteúdo da Você Sabia Anime? Considere apoiar a gente no nosso Catarse ou doando diretamente pelo Paypal!

Page no Facebook – Meu Perfil no Twitter – Nosso Instagram

Ofertas de Mangás e Novels na Amazon: Ao comprar você estará apoiando a VSA


 

Please follow and like us:
error