Animador de Boruto: ”Caso você queira trabalhar no Japão como Animador, é bom ser masoquista”.

Animador de Boruto: ''Caso você queira trabalhar no Japão como Animador, é bom ser masoquista''.

Animador de Boruto: ”Caso você queira trabalhar no Japão como Animador, é bom ser masoquista”

O animador da Indonésia, Ida Bagus Yoga deu uma entrevista ao site Kaori Nusantara onde disse coisas interessante sobre a Indústria e seu trabalho.

Ida que também é conhecido pelo apelido de guzzu trabalha no anime de Boruto mas também já trabalhou em Castlevania, To Be Hero 2 e no episódio 6 de SSSS.Gridman.

Ele disse algumas coisas interessantes sobre a Indústria por sua experiência trabalhando tanto com os Japoneses quanto com ocidentais.

Primeiro ele revelou como foi parar na Indústria de animação, e foi por meio do Twitter, ele postava seus trabalhos no twitter e daí uma empresa Chinesa entrou em contato com ele, e assim ele acabou envolvido em To Be Hero 2.

Ele diz que muito do contato é feito via Discord, já que ele trabalha no Studio LAN que fica em Guangzhou. Ele conta que a produção do episódio 65 de Boruto começou com comunicação via Discord.

Temos a pergunta sobre a situação da Indústria de animes atualmente, ao qual ele fala:

”É certo, é por isso que eu não gosto de contribuir para animes ultimamente, eu prefiro trabalhar com a Indústria de animação ocidental, não porque eu seja tentado por muito dinheiro, mas porque eu e outros animadores sentimos que nosso tempo é mais apreciado, e podemos fazer uma animação melhor possível.

Por que os japoneses não reclamam de problemas financeiros e prazos apertados? É porque a sua mentalidade se formou desde a infância. Além disso, eles também não têm muitas conexões com os ocidentais, apesar de ambos os lados quererem fazer conexões e colaborarem para criar anime / desenhos juntos, para construir o negócio, e assim por diante. O Studio Trigger recentemente também se conectou com os caras da Crunchyroll, e eles tiveram o privilégio de apresentar seus animes diretamente nos EUA. A relação da indústria de animação entre o Ocidente e o Oriente tornou-se mais amistosa, então talvez em dois ou cinco anos, mais e mais conexões sejam estabelecidas entre essas indústrias.

Ao trabalhar na própria indústria de anime, existe uma história que você pode compartilhar sobre a rigidez da produção de anime? Talvez você tenha que cumprir um prazo apertado ou alguma história semelhante?

Na época da produção de Boruto , recebemos apenas duas semanas e cinco dias para animar a cena de luta no episódio 65. Weilin Zhang e eu recebemos cenas de um minuto cada (55 segundos ~ 60 segundos), tivemos que trabalhar em cerca de 1300+ frames. Weilin e eu recebemos as cenas mais cruciais do episódio, enquanto meus outros amigos de animação receberam apenas alguns segundos (3 ~ 10 segundos). Em um prazo tão curto, devemos ser capazes de completar todas as animações de personagens, efeitos, explosões, layouts de fundo, câmeras, até a limpeza.

Minha situação era muito apertada naquela época porque naquela época eu trabalhava em Castlevania e Boruto ao mesmo tempo, com prazos que também se sobrepunham. Na verdade, meus trabalhos em ambos os projetos ainda não lançaram todo o meu potencial. Existem várias cenas em Castlevaniaonde minha qualidade não era ótima devido à sobreposição de prazos, exceto pela cena da explosão e quando Trevor luta contra o Monstro na ponte caída porque me deram mais tempo para animar a cena. Além dos dois projetos, há vários outros projetos de anime que me fizeram desistir no meio da produção porque eu estava sobrecarregado de trabalho, raramente tinha tempo para dormir, e enfatizava o quão pequeno era o salário, o que no final me fez decidir parar de contribuir para a indústria japonesa.

Após esta pergunta, o pessoal do Kaori Nusantara pergunta se tem algo de positivo em trabalhar na Indústria japonesa, e ele diz que não muito, mas revela que empresas ocidentais estão mais e mais interessadas no estilo de animação japonesa.

E aqui está a sugestão dele para quem quer trabalhar com animes sendo animador:

Eu sugiro que, se você realmente quer trabalhar com animes, você pode contribuir uma ou duas vezes por ano, e esperar que seu trabalho possa exceder as expectativas de todos. Não é uma coisa fácil, mas tenho certeza que você conseguirá ofertas de emprego com condições de trabalho mais humanas. Não seja um animador em tempo integral no Japão, procure emprego freelance na indústria ocidental, junte dinheiro suficiente para não ficar estressado. Isso não significa que eu realmente proíba que você trabalhe em tempo integral lá (no Japão). Mas se você realmente quiser (trabalhar no Japão como animador), você pode precisar ter uma alma forte, ou talvez ser masoquista.

Recentemente também teve outro animador que foi ao twitter falar para todos os estrangeiros que não vá pro Japão trabalhar na Indústria de animes, trabalha-se muito e paga-se pouco.

O que vocês acham?


Gosta do Conteúdo da Você Sabia Anime? Considere apoiar a gente no nosso Catarse ou doando diretamente pelo Paypal!

Page no FacebookMeu Perfil no TwitterNosso Instagram

Please follow and like us:
error