Conseguiram Problematizar Hentai de Overwatch

Conseguiram Problematizar Hentai de Overwatch

Conseguiram Problematizar Hentai de Overwatch

Eu normalmente quando vejo esse tipo de matéria rio e nem comento, mas dessa vez a coisa foi tão ridícula que eu não tô conseguindo deixar passar.

Vocês conhecem um game chamado Overwatch? É um FPS da Blizzard onde cada personagem tem habilidades diferentes, eu jogo ele desde 2016 e fico triste a cada MD10 que faço nele (nunca saí da Platina, nunca cheguei no ouro).

Mas então, assim como todo jogo, Overwatch tem garotas, e aqui garotas bonitas, de quem artistas hentais adoram fazer o que fazem de melhor: pornografia.

No caso de Overwatch existem muitas versões pornôs em animação 3D, tem da D.Va, Zarya, Mei, Mercy, Widowmaker etc, mas uma mulher que trabalha no site Kotaku resolveu problematizar o pornô de Overwatch.

Segundo a criatura:

”Pharah é vista mais branca que o normal, Brigitte é menos musculosa, Zarya não aparece e tem poucos hentais da Mei”

Deixa eu explicar um teco, a Pharah é do Egito, então a pele dela é condizente com o povo de lá; Brigitte é meio musculosa, mas não sei se chega a tanto; a Zarya é grande, vou deixar ela abaixo para vocês verem; e Mei é a mais cheinha do game (muito fofa a SataMei)

Conseguiram Problematizar Hentai de Overwatch

Ela continua:

”Isso deixa claro que as pessoas que fazem esses vídeos (pornôs de Overwatch) gostam de mulheres brancas e esbeltas”

”Alguns desses animadores ganham praticamente 6.000 dólares por mês no Patreon pelo seu trabalho, e alguém tem que falar para eles que os buracos não são tão espaçosos assim”.

”Porque isso é ruim, se é isso que os criadores e o público querem, bem, se a indústria pornô e a indústria de games mostram como normal mulheres brancas e esbeltas em cima de todos os outros tipos de corpos, raças e gêneros, isso vai se tornar o padrão para a conveniência. Esse padrão, por sua vez, afeta a auto-estima de pessoas que não se parecem com isso, bem como o consenso geral sobre o que é considerado “quente”, o que significa “aceitável”.

Ela termina falando que ainda encontrou ”Homofobia e transfobia” nos hentais de Overwatch, e que héteros não são o único público desses criadores.


Bom, já é muito ruim que essa mulher queira falar o que artistas hentais devem ou não fazer. Produzir hentai de uma série que você gosta é produzir aquilo que te excita (provavelmente), botar seus fetiches no papel.

Conseguiram Problematizar Hentai de Overwatch

O segundo ponto é que, quem manja de catar hentai de suas séries favoritas, deve ter percebido que essa mulher não entende a arte milenar de ver hentai. Ela diz que mal encontrou imagens gays e poucas de Mei e Zarya, sendo que Mei aparece aos montes e tem vários e vários vídeos da Zarya mostrando ela como Futanari pegando as outras garotas.

Sombra e Symmetra (duas negras), também aparecem aos montes, e em relação a homem x homem, também tem de rodo (Hanzo x Mcree, Soldier x Reaper, se der vacilo tem até Hanzo x Genji, afinal, nego adora um incesto), mas a autora do texto apenas ataca uma pequena quantidade de artistas que fazem os hentais que eles gostam, e ignora que tem outros artistas que só fazem artes gays, ou alguém que se concentra mais na Mei, outro em Futa, etc, ela decidiu apenas atacar quem prefere ”mulheres brancas e esbeltas”.

Eu tenho a impressão que quem escreveu quis escolher a dedos os artistas a quem criticar por não produzir a versão hentai que ela queria ver (sendo que existe, e sendo feitas por outros artistas) e dai quer criar essa narrativa.

Quando que os fiscais de foda vão começar?

Ao menos no tweet acima, a galera em peso reprovou a matéria da Kotaku.

[kkstarratings]
Nos siga e Compartilhe
follow subscribe - Conseguiram Problematizar Hentai de Overwatch0